Coraçâo pobre coitado
Bem sabes o mal que tens
Nâo me faças sofrer mais
Se houver que acabar assim
Seja como tu quizeres
Mas sem suspiros nem ais.

Muinto cêdo palpitavas
Davas sinais de boémio
Pulavas alegre e meigo
De todas te enamoravas
E nunca te arrependias
Além do mal já estar feito.

Mas um dia sem pensar
Alguém à porta bateu
Era o Amor verdadeiro
Como sempre tu pensaste
Que era uma aventura mais
Um namorico sem jeito.

Apesar do que pensavas
Com certeza te enganaste
Pois nâo foi fogo de palha
Ficámos enfeitiçados
Pela ternura do olhar
Da nossa mulher Amada.

Meu Coraçâo traiçoeiro
Da minha Alma te digo
Que é cêdo para morrer
Quero que tenhas coragem
Para ao lado do meu Amor
Até velhinho VIVER.


Autor: Ribatejano
Texto na Voz do Autor