Saudades, desejos, me agitam a alma
E com rebeldia aguçam os sentimentos
Sonhos, somente sonhos, me fazem viver
Navego e viajo em meus pensamentos.


Espinhos me ferem, procuro ser forte
O frio, o cansaço, são partes de mim
Restando na alma, só as verdadeiras
Marcas cortantes, uma dor sem fim.

Sol, lua, estrelas, fizeram-se presente
Nesta caminhada, que levou-me a nada
Passei pela vida tantos maus momentos
Perdida no caminho desta longa estrada.

O mar; velho amigo, sempre me acolheu
Fiel, em silêncio, beijou o meu pranto
Lavando o meu rosto, com suas águas frias
E na areia branca, fiz o meu recanto.

E assim vou vivendo a contar os dias
Oh destino cruel, ingrato e insano
Deixou-me vazia, solitária, e triste
Sou um grão de areia
dentro do oceano.


Autora: Pequenina