Sonhei, com as flores do teu jardim
Com as noites frias em teus braços
Teus carinhos, teus amassos
No nosso ninho de amor.

Aquecia-me com teu corpo
Ardentes, eram os teus beijos
Teus afagos, e o descompasso
Dispensavam o cobertor.

Éramos dois, em um só
Bastava-nos um só lençol
Ou um tapete no chão...
Rolávamos de sol a sol!

Para estar sempre contigo
Qualquer canto era um abrigo
A fonte dos meus desejos...
Meu alimento, teus beijos.

E a sede, em nós era tanta
Bebíamos do amor, o veneno
Fogo, brasas da paixão...
Alma, corpo, e coração.

Ao despertar deste sonho
Meu caminho estava morto
Não havia flores, e sim campo
E uma longa estrada avistei.

Com outros braços, eu bem sei
Não eram os braços que sonhei
Deitei-me na relva e pensei
Confesso, quase chorei!

E do jardim que tanto amei
As flores, não mais existem
Restando apenas uma só
E os retalhos de um lençol

Embrenhei-me pela estrada
Seguida de um passarinho
No bico trazia uma flor
Fora á única que restou.

Em meu ombro ele pousou
Com o bico, a mim entregou
Que guardo, pois tem valor
São retalhos de um grande amor.

Não é sonho, é a realidade
A nua e crua verdade
Como a flor, a que restou
O nome dela é, Saudade!


Autora: Pequenina
Música na Voz do: Ribatejano