Porque me olhas, com este olhar devorador
Que vês em mim, se nada tenho a ofertar-te
Finjo não ver, mas me queimas com ardor
Profundos olhos que me espreitam...

Como é forte!

Vejo-te ao longe, tento em vão de ti fugir
Estranha e louca sensação, faz-me sentir
Deixas-me nua, crua e tua, em plena rua
Vazas meu corpo, desnudando-o...

Sem pedir.

Olhar de bruxo, penetrante em minha alma
Vira-me ao avesso, e faz-me assim descontrolar
Ferve-me o sangue, ouriçando a minha pele
Com teu veneno, e o sabor de...

Quero amar!

Se não te importas que te vejam a "secar-me"
Pois continues, e quem sabe irás ganhar
Um dia destes me exponho por inteira
E a mim terás, e sem pudores...

Á beira Mar!

Se nesta hora, a minha força fraquejar
Não desesperes, amanhã estarei cá
Rever o Mar, e banhar-me em suas águas
Dê mais um tempo pra que possa respirar.



Autora: Pequenina