O dia amanhece sombrio
E não vejo o brilho do sol
As nuvens pairam no ar
E a gaivota a cantar.

Não sei se é um canto
Ou um lamento
Maltratada pelo vento
Pousada a beira mar.

Gaivota solitária...
Sei que voas contra o vento
Vencida pelo sofrimento
Que a sorte a destinou.

Sozinha e desamparada
Perdida e abandonada
Tristonha, a espera da morte
Ferida chora de dor.

Pobre amiga gaivota
Somos iguais, e tão diferentes
Sei que vivo como tu
Sem rumo, e sem direção.

Sofremos a mesma dor
Vivemos a sós, e sem amor
E já que tens tuas asas
Empreste-as ao meu coração.

Para que ele voe bem alto
E vá para longe de mim
Libertando-me do cansaço
E desta vida sem cor.

Os sonhos que tive um dia
Há muito já se apagou
Minha triste gaivota
Cantemos a nossa dor...

Autora: Pequenina
12/12/2002 - 06:25:52