Belo, limpinho, e cheiroso
pêlo macio e sedoso
vadio, felino e manhoso
amigo, e por vezes maldoso...

Ronca, rosna, e até resmunga
parece ser o dono do mundo
mas na verdade não passa
de um belo vagabundo.

Quando é dia quer descansar
do sofá ninguém o arranca
dormindo um sono profundo
para agüentar a retranca.

A noite, o belo assanhado
olha-me cheio de manhas
a esperar que eu abra a porta
e vai aprontar suas façanhas.

Pela manhã ao despertar
deparo-me com o vadio
que chega de suas farras
em busca de uma gata no cio.

Vem de mansinho e cansado
faminto e miando baixinho
pula ao meu colo a buscar
um pouco do meu carinho.

Ah, gatinho abusado...
não passas de um vilão
vive cheio de chantagens
meu amigo trapalhão...

Autora: Pequenina