Lembrança, doce lembrança
De minha infância adorada
Em meu mundo de criança
Sempre fui muito mimada.

Meus pais me davam carinhos
Minha avó me dava amor
Meus irmãos sempre juntinhos
Unidos com muito ardor.

Brinquedos não me faltavam
Alegrias, também não
Este é o mundo encantado
Que guardo no coração.

Saudades do casarão
Que ainda, lá está
Da 'magrinha' uma santa
A quem sempre, vou visitar.

Aquela árvore gigante
Nos fundos do casarão
Com as cordas do meu balanço
Que eu amava de paixão.

Mas o tempo foi passando
Fui para a cidade estudar
Deixei meus pais, meus irmãos
E sofro só em lembrar.

Fins de semana para mim
Não tinha que estudar
Esperava com ansiedade
Meu pai, á vir me buscar.

E assim foi, até que um dia
Eu ainda uma menina
Os meus vieram para a cidade
Que triste foi minha sina.

Sem meu balanço, amado
A vida me foi cruel
Hoje vivo amargurada
Representando um papel.

O casarão lá está
A árvore gigante também
Forte e cheia de vida
Com as cordas do vai e vem...

E a menina desiludida
Com a infância mutilada
Murchou tal qual uma flor
Desta á vida, foi ceifada...



Autora: Pequenina