Sinto-me só e perdida
Sei que não vou suportar
As noites são tão vazias
Não sei como me encontrar.

Sai em busca de um alento
Vagando de bar em bar
Bebi de tudo que havia
Não dava pra controlar.

Bebi com raiva de mim
E todos se puseram a olhar
Amigos deram-me a mão
Na volta pus-me a chorar.

O frio cobriu-me a alma
O mundo desabara em mim
O copo nem sempre acalma
As dores que não tem fim.

A vida, esta logo passa
Que vá, sem muita demora
Libertando-me desta tristeza
Que assusta, e me apavora.

Pela manhã ao despertar
Senti um nó na garganta
Olhei-me, diante do espelho
Uma imagem, que a mim espanta.

Oh, céus! Dá-me a coragem
Não quero causar sofrimento
Aqueles que mais me amam
Não merecem este tormento.

E aqueles que nada sentem
Não sofrerão nada, eu sei
Não sei o que estou a pagar
Se é que devia; Já paguei!




Autora: Pequenina