Loucuras de amor, são aquelas que você sente
e não pode reprimi-las, deixam-nos atordoadas
e até mesmo fora da realidade do mundo.
Não sabia que algumas palavras escritas,
ou algumas imagens fotográficas, uma voz ao tel
fizesse, nos levar as ultimas estâncias de um
sentimento abrasador, e até mesmo a loucura!
Como gostaria que aqueles que nunca experimentou tal prazer,
tivessem esta oportunidade ao menos uma vez na vida!
Hoje é um dia festivo, estou eu sentada, em
frente a uma telinha, ouvindo as canções, na voz
do homem que para mim, é o céu, a terra, o mar,
a lua, o sol, as estrelas, enfim, o infinito!
Creiam-me! É uma coisa real, e ao mesmo tempo
quase irreal, meio complicado mas é verdadeiro.
Não se trata de um sonho, ou uma alucinação.
É um fato concreto!
Gostaria que neste exato momento, o tempo parasse
e a vida ficasse onde está, e este dia se eternizasse!
E esta melodia, junto a esta voz, que soa como um hino
aos que amam e sofrem uma paixão avassaladora!
Loucura, imaginação, fantasia, devaneio, êxtase,
frenesi, tesão, sede, tara? Teria uma série de adjetivos;
alguns não muito recomendáveis em serem mencionados.
Não quero saber, que nome devo dar a este momento mágico!
Talvez a alegria que sinto na alma, saiba expressar
melhor que as palavras por mim, escritas,
ou até mesmo ditas, com minha própria voz!
É um verdadeiro mistério do mundo dos pensamentos.
Estes são livres, não há quem os impeça, que ele os diga
a nós mesmos, o que queremos, o que devemos,
ou o que podemos sonhar, e sentirmos.
Até mesmo o desejo de: cantar, dançar, gritar, pular,
rolar na areia, subir nas paredes, flutuar sobre as nuvens,
tocar as estrelas, beijar a face da lua, deitar na grama...
E até mesmo... na Cama!


Autora: Pequenina
Música na Voz do: Ribatejano