Terceiro ano.
Do terceiro Milênio

 

Estamos a entrar neste novo ano em que a boca dos homens de poder deita palavras que nos aterroriza, e torna o futuro de cor cinzenta.

Mas eu queria prometer de acordar todas as manhãs, ao som de minha própria gargalhada, não por loucura mas pela satisfação de ainda viver.

Ter sempre um sorriso em meus lábios, e agarrar mais esta oportunidade de ser feliz.
Gostaria que meu sorriso fosse o motor de arranque para percorrer o dia de hoje que nunca mais voltará.

Todos nós nascemos, e tantos nasceram para serem miseráveis; mas eu procuro no meu riso aberto ser feliz, se é que foi para isso que nasci.

Vou pegar nas boas coisas e agarrar-me a elas, essas alegrias contem a minha vida de felicidade; vou procurar tomar consciência de todo o valor de viver.

Creio que sou capaz de seguir em frente, com enorme coragem, traçar os meu objetivos de cada dia, e agarrar a luz mais brilhante que ilumina a vida, poderei agarrar um arco ires de cada vez, uma estrela de cada vez, um minuto depois de segundos, e com paciência formar horas e dias.

Já estou reformado, mas também nunca me queixei do trabalho, nem da sua rotina, procurei-o através de dois continentes, encontrava no trabalho, minha contribuição para o engrandecimento do mundo e a maneira mais prefeita para manter minha dignidade.

Acreditava em mim e continuo a acreditar, não me posso deixar vencer por uma dor num ouvido, nem pelas surpresas das saudades deixadas por um irmão ou um amigo, tenho de me agarrar à alegria.
Sei que a felicidade está dentro de mim, não preciso de a alcançar, mas sim de a dar a quem estender a mão.

Meu rosto não me dói se mantiver um sorriso, e ainda tenho braços para abraçar a Felicidade, pois continua com o mesmo perfume dos seus vinte anos…. Neste ponto quero vos dizer que Felicidade é o nome de minha esposa.

Claro que esse cheiro ainda fica um pouco em minhas mãos, para eu me regalar, o mais importante é não perder a atitude positiva, mesmo que haja alguém que o pretenda, mas será difícil o conseguir se eu a não aceitar.

Sei que nunca serei perfeito, nem nunca chegarei ao fundo do abismo e voltarei, mas poderei sorrir.

Verdade, preciso conseguir realizar meus desejos, e eles transformarem-se em deleitosas maravilhas, quase magicamente paradisíacas.

Claro que há minha idade o tempo de ser feliz é agora ou nunca, estou no lugar certo com a família certa, e rodeado de amigos virtuais maravilhosos, todos nós sabemos que amigos pessoais é coisa rara, os outros são formados pelo interesse, ou por não poderem vencer a inveja, mas para vós amigos que a idade ainda vos não venceu, e para todo o universo humano, votos de um ano feliz e que vosso sorriso seja capaz de vencer a dor.

 

Por: Armando C. Sousa

Enviar a um amigo
clique ao lado!!!
   
Voltar