Pocinha de lágrimas VII

Mãos de Fadas

Estava-mos no fins de Março no País mais ocidental do Continente Europeu; as noites eram mais pequenas, os dias cresciam e aqueciam. "Alcino acordou com o sol entrando pela janela da alcova onde ele dormiu deitado no divã junto á porta da biblioteca do Conde e do armário de armas. Já era um pouco tarde comparando com os dias anteriores.

Alcino acercou-se da janela virada ou quinteiro e ficou aterrorizado ao ver o feitor e mais de uma dúzia de homens fardados e armados guardando as saídas do Palácio .

O rapaz aos gritos acordou seus Pais dos braços da deusa Diana, ao mesmo tempo que com os joelhos no chão e as mãos erguidas suplicava: vem cobrinha vem, ajuda-nos!.

Diôgo sabia que a vida teria de continuar, não poderia ficar prisioneiro dos caprichos de um homem perverso de coração cheio de inveja e a boca suja de mentiras.

Mesmo sabendo-se sozinho disse com seus botões, será melhor morrer lutando, de que morrer com a vergonha da covardia.

Diôgo correu armando-se com espada (adaga cimitarra) e lança foicinho, abrindo a porta do palácio de acesso á cozinha ignorando os gritos de Isabel.

Os homens da guarda correram a seu encontro, mas ao lado do Diôgo viam-se espadas que cortavam os ares em todas as direções protegendo-o de todas as investidas dos soldados Reais.

Agora era um com as calças a cair com o sinto cortado duma estucada bem dirigida por uma mão que se via gravitar como uma asa, ora outro que ia de focinho á lama impulsionado por um pontapé forte mas invisível.

'Amigo leitor não te rias' nos dias de hoje podes ver as mesmos milagres , como por exemplo a tinta invisível de um computador; as imagens da televisão , o falar daqui para o fim do mundo etc. etc. etc.

Lembra-te que o poder de Deus é infinito, podendo dar forma á imaginação do homem usando todas as formas para impor a justiça.

Então foram todos desarmados sem que fosse preciso jorrar sangue: todos os homens da guarda Real com o feitor foram empurrados para os calabouços da torre do castelo por mãos que gravitavam como asas, mas de corpo invisível: eram as mãos das fadas comandadas pela cobrinha de olhos azuis, fadas vindas do penedo da fraga que atendiam as suplicas de Alcino.

Diôgo de olhos cheios de espanto por tudo que vinha acontecendo, dizia: portanto Deus é grande, devemos aceitar tudo que bem por bem.

Mas estas mãos com asas que me defenderam lutando a meu lado vencendo todos os soldados sem que ouve-se perda de vidas ou pinta de sangue; deixa-me abismado.

Eram horas de Alcino seguir com os animais para a serra e então adivinhando o que ia na mente de seu pai foi abraça-lo dizendo-lhe quando voltar te direi o porquê tudo isto aconteceu.

Diôgo atônito encaminhou-se para os braços de sua esposa abanando a cabeça como tudo que se passara não era mais que uma alucinação, ou dum sonho maravilhoso onde as forças do bem ficaram de vencida, mas que será preciso dar continuidade para bem da humanidade.

'Vamos deixar Diôgo e Isabel em laços de amor' vamos encontrar Alcino junto ao penedo da fraga com os olhos postos nas pocinhas das lagrimas pensando em toda a historia da fonte da moura, que ele hoje acreditava que toda a imaginação poderá ser realidade no dia de amanhã.

Amigo lembra-te de Júlio Berne, ou Galileo!. Embebido em seu pensamento não tinha reparado que uma senhora de rosto risonho estava afagando a cabeça de Joli sentada a seu lado perto das pocinhas.

Então ouviu uma vós suave que dizia: portanto é verdade! E agora chegou á hora de transmitir para ti também uma grande parte do saber.

Alcino estremeceu ao sentir-se acompanhado por um ser que iria fazer parte de seus sonhos, o saber.

A senhora tomando a mão de Alcino disse-lhe; eu sou a boa fada tua madrinha, que tenho andando combatendo as forças do mal, se acreditares, e abrires todo teu ser ás forças do bem: o saber começará a descer em teu pensamento a uma força vertiginosa.

Só em te explicando o valor das letras, sons e grunhidos, números e seus sinais, a natureza e sua força transformada em químicas, a água transformada num mundo de luz, os penedos poderão ser diamantes ou destruição do planeta, o ar poderá ser vida, morte ou luz, ou então destruição da vida.

Tu transmitirás todo este saber aos vindouros, sem inveja do que eles saibam, esses seres serão a fonte da vida, e cada dia deus os deixará aproximarem-se mais da sua sabedoria, sem nunca mesmo nunca compreenderem o saber de infinidade ou o propósito do nosso ser:

Assim será através dos séculos; mas tu e todos a quem transmitires o saber, tereis por obrigação de trabalhares para o bem de todos, para que todo o ser humano possa ter pão, possa ter um teto, possa cobrir a sua nudez dignamente, e ao mesmo tempo possa desfrutar as regalias a beleza que Deus criou através do universo.

Que a justiça não escolha cor, que a riqueza não seja justiça, que nunca se criem linhas de divisão, quando as línguas se fundirem numa só lingua, a hipocrisia das religiões terminarem com o interesse que as movem, encontram o caminho que libertará a humanidade do pecado que só eles criaram impondo o medo como solução de obediência.

Ama o teu proximo como a ti mesmo e encontrarás a solução para todas as guerras, para todas as raças, para todas as cores e o universo será em realidade um grande paraíso.

Alcino ajoelhou dizendo simplesmente, serei tudo o que tu queiras que eu seja, madrinha!.

A fada sorridente pondo sus mãos como captando o saber, devagarinho as foi abrindo como deixando cair gradualmente uma corrente de saber sobre a cabeça de Alcino.

Dando um grande livro para as mãos do afilhado disse quando os teus olhos pousarem sobre um conjunto de letras formaram sons e grunhidos em teu pensamento e a tua boca dará a copia real desses sons.

Ao prenuncia-los, tu saberás ler.

Tornando a pagina do livro, disse!. estes sãos os números e seus sinais: hoje deixarei entra os números e cinco sinais, quando estes não chegarem para resolver teus problemas; então uma outra onda de saber entrará tornando-te um experto em matemáticas.

Agora cairá sobre ti as medidas e reações, que te darão tudo que te vai fazer falta para compreenderes a natureza!.

Agora Alcino vai dar forma a vossa comunidade; mas lembra-te que não haverá comunidade completa sem Doutores, sem professores ,sem escolas ,sem hospitais.

Sem casas de oração, sem casas de brincadeira e de encontros.

Será preciso trabalhadores de todos os gêneros ; todos farão falta, mesmos os velhinhos para contar o passado, e se vos faltar um nem que seja só para fazer agulhas, a comunidade não estará completa, a comunidade não completa cria necessidades, as necessidades acarretam pobreza e ganância.

A ganância trás crime; o crime acarreta desordem.

O governo com ganância, é o maior motivo da corrupção.

Esta, leva o governo a uma ditadura, com todas as conseqüências atrás mencionadas.

Seguindo-se a esta a pobreza, ignorância, fome e morte.

Nunca te esqueças que a educação é a maior riqueza da comunidade. Alcino vai, conta a teu pai e tua mãe tudo que se tem passado, e o que é preciso fazer para que uma comunidade viva em paz e amor respeito e justiça.

Vai! Quando precisares de ajuda chama pela cobrinha dos olhos azuis, eu sou apenas o resto do nada. (E em nada se tornou sua madrinha)

O chocalho da malhadinha fez tornar a atenção de Alcino, que logo viu que todos os animais se dirigiam serra abaixo guiados por Joli, e ele sentia desejos de falar com seus pais a respeito de todas as coisas extraordinárias que se tinham passado desde que ouviu falar a cobrinha dos olhos azuis

A seguir: Transformação

Por: Armando C. Sousa

Enviar a um amigo
clique ao lado!!!

Voltar