Do Minho nasceu Portugal


É sem duvida uma verdade orgulhosa dos Minhotos, mas não é menos verdade que já se passaram 50 anos que os Portugueses se radicaram neste cantinho desta grande Cidade.

Há mesmo os que dizem, a minha língua é minha família. Eu por mim digo, a minha língua é minha Pátria.

O Minho bem depressa cresceu, de Trás os Montes ao Algarve, e depois se alargou ás quatro partidas do mundo, mas fieis a língua e ao ser Português, ficaram as raízes plantados nas lindas ilhas do Arquipélago dos Açores, e naquelas perolas floridas e de perfume sem igual da Ilha da Madeira e Porto Santo.

Hoje o orgulho de ser Português havia de correr uma artéria da cidade de Toronto, onde se radicaram os primeiros Portugueses, donde deveria sair a nossa aldeia com mais de meio milhão, espalhados por esta grande nação que é o Canadá.

Nesta aldeia mesmo sem o suporte do governo donde viemos, se encontram Doutores Advogados, Professores de Universidade, e toda a gama de Professores que fazem falta a uma aldeia bem nutrida, assim como gente de negócios e da industria; temos alguns políticos, mas neste campo precisamos de nos juntar e ir mais longe.

Hoje o orgulho de Português desceu à rua da Dundas, dançou, cantou, e jogou bola e concertina, mostrou como se namorava antigamente, como se fazia renda de bilros.
Como se cuidava das quintas, e mesmo como se apregoava a sardinha, como as sardinheiras tinham suas escaramuças com os pescadores.

Os minhotos abriam o desfile com o titulo deste artigo, depois, três presidentes dos maiores clubes Minhotos, aqui radicados desfilavam par a par como afirmando, juntos somos uma nação; dando a entender no futuro, teremos uma casa Minhota, com sala de estar para toda a família, e sala de visitas para todos que queiram ver esta rica cultura, se sua gastronomia de tradições seculares; assim participar e divertir-se.

É desta massa Minhota donde saiu Portugal

Amigos! Não escrevi este artigo para divulgar todos os presentes, ou julgar qual o melhor.

Para mim todos que tiveram a coragem de descer à rua para representar a sua raça, seus hábitos, o que faziam, suas danças ou marchas, que tanto alegraram os presentes aquelas marchas das Ilhas, mesmo a banda de música que tanto nos alegrava outrora, e aqui as gentes dos Açores continuam com as tradições divulgando o País donde partiram suas raízes.

Aqui à 50 anos chegaram pioneiros; aqui se encontram milhares que já nasceram neste País de acolhimento de seus pais, são merecedores do nosso respeito

E seriam merecedores de estar entre eles ou entre nós, o Primeiro ministro Português, que partiu sua promessa, de estar aqui, representando Portugal na maior parada Portuguesa para comemorar o dia de Portugal Camões e as comunidades Portuguesas fora de Portugal, ou talvez Portugal incluído.

O Sr. Primeiro Ministro Português terá suas razões, mas nunca válidas se foram baseadas em medos.

A afinal a parada foi à rua, mesmo sem o calor que o Durão Barroso poderia ter emprestado, alguém aprendeu que minha língua, é meu Pais.

E do Minho nasceu Portugal.

Por: Armando C. Sousa

Enviar a um amigo
clique ao lado!!!

Voltar