Tatuei meu coração
Com uma imagem que nunca vi
Não a posso arrancar
Tenho-a gravada aqui.

Desaparecerá quando morrer
Este tatu tão profundo
Nem lazer o desfará, veio lá do fim do mundo
Já foi de salinas rainha.

Quem me veio tatuar
Morava num grande casarão
Fez-me formatações divinas
Tatuou meu coração…

Deusa de meu pensamento
Arrancou-me deleitosas poesias
Para me poder tatuar e cobrir-me de alegrias
Cobriu-me de profundos tatus.

Nem seu retrato me deu
Mora longe no além, onde há inferno e céu
Tenho a alma perfurada
Com tatus que me cravou.

Mas alegria dourada
Essa moça me doou
Tatuada no pensamento tua cara queria ver
Deixava-a em testamento.

Formatações e poesias e as minhas alegrias
Ao mundo quando morrer.

Por: Armando C. Sousa