Quando o dia desponta por entre montanhas com a luz tênue da alvoradas, estrelas a desaparecer com a claridade, sentimo-nos satisfeitos que esse dia seja duma suavidade sem medidas, esse dia nos traga o perfume paradisíaco duma rosa.

Esperamos que os raios do sol sejam de uma macieza sedosa aveludada .

Esperamos que o verde seja lindo e suave em matiz , exactamente como o verde primaveroso.

Queremos sentir os jardins a despontar, flores a sair por entre o verde, tornando em mil cores o canteiro, lindo e suave, primavera em flor. Gosto de ver nas alvores os balõezinhos a sair, a folha ou flor que desponta, essas são as cores da vida a sorrir como as borboletas que voam a nosso redor, deixa nossa mente sair da noite e entrar na realidade.

São momento que sentimos pela vida grande amor

Sim , amo a natureza que me dá essa visão e perfume suave tornando a vida cheia de ternura

Nesses momentos eu sinto tanto a perda daquela que me depôs na vida, mesmo sem saber o tempo determinado que aqui permaneceria comigo.

É em sua memória que quero ver nascer a primeira rosa, e em pensamento a doar àquela que partilhou comigo seus braços, pão, os seios, suas lágrimas e seus sorrisos.

Este jardim terreno gostaria de o partilhar com aqueles que enxugaram minhas lágrimas ao saber de meus desesperos , das tristezas que assolavam a minha vida.

Outra rosa que nasça, irá o cheiro para os nobres do coração e de puros sentimentos.

Terei algumas para os ricos que por todos os meios procuram minorar a enorme pobreza que devora a humanidade sobre a terra, estes assim calando a dor e miséria.

Gostaria de ter rosas para todos aqueles que o amor ao proximo está alojado em seu coração, e se dilacera se não encontra meios para enxugar lágrimas de dor causadas pela doença da C.I.D.A. do câncer, da mulher e do homem, e os medos de uma guerra sem razão, onde apenas os bens dos outros está em causa.

Aqui vai para meus professores, os meus mais puros botões; estes que tanto procuraram ensinar-me , nas contas de igualdade, nas redacções e divisões.

A meus amigos tambem, que não usavam hipocrisia, para entrarem em meu coração.

Um pensamento para todos que foram meus amigos e foram obrigados a me deixarem eternamente, construindo no silêncio a minha grande saudade, das borgas e cantos que entoamos juntos.

O cheiro da rosa para todos que me fizeram rir, gargalhar ou até mijar e chorar, desta maneira minorando a minha dor.

Para meus grandes amigos virtuais, que eu em pessoa nunca vi, mas em pensamento sim, moram comigo aqui, na inconsciente morada de meu pensar; quantas vezes passeio e vôo com eles no meu dormir, me rio choro com eles lendo seus poemas e escrevendo os meus depois de acordar.

Não me esqueci de vós, que reconheceis os artigos que escrevo para o jornal Nove Ilhas e fazeis as criticas conforme eu as mereço, para aqueles que tiram tempo para agradecer as verdades que escrevo nas minhas reportagens, e mesmo para aqueles que acham que a verdade os diminuiu, e prefeririam ler mentiras minhas.

Para estes reservo o perfume duma flor verdadeira.

Para meus filhos e netos que tantos momentos de alegria nos vem dando com a sua proximidade, e satisfação de trabalho e honestidade, para esses reservo os passeios de meu jardim, a entrada da minha porta, além de tudo que é meu, também meus braços e meus coração.

Mas todas as flores, nascidas e por nascer, iram para aquela que me tem ajudado no meu viver, essa que me acompanha, a todos os lugares, quer seja para escrever para comer ou passear, passar tempo ou conversar

Ou mesmo para me repreender ou fazer lembrar; para essa sim não vai só as flores, mas todo o meu ser, todo o meu viver.

Quando o dia desponta depois da noite, quero me levantar sem nada doer agarrar o mais belo sorriso e com ele meu coração de lealdade lhe oferecer.

Meus amigos por vezes quero prosear e então deixo a minha mente vaguear com amor por todos os lados, tambem tenho muitas amigas, que gostam de ler estas coisas por mim escritas, que apenas galvaniza os pensamentos, que vem embrulhado em bem e amor.

Para todos vós um grande abraço do Armando.

Por: Armando C. Sousa