Musa, entra, não batas que estou só
Dá-me um pouco de ti mesma
Os versos de minha avó

Conta-me de quando ela lavava no rio
Quando cantava sozinha
Ou então ao desafio

Vem musa

Traz-me versos de amor
Traz-me as estrelas piscando
Serenatas ao luar
Ou as cores do sol por

Vem musa, retira toda a tristeza
Dá alegria ao poeta
Enche minha vida de beleza
Traz fagulhas de amor cor de prata

Amarra-o libre há flor
Com laços que não desata
Musa, traz brisas serenas de paz e amor
Moças loiras ou morenas

Meigas mesmo de cor
Dá-lhe riso de ternura e a boca sensual
As curvas todas bem feitas
Como nunca vi igual

Levando-me ao paraíso, com uma paixão de loucura
Sem perder o meu juízo
Ao ver tanta formosura

Hoje musa, vem comigo poetar
Traz o meigo da doçura ficamos a noite ao luar
Hoje eu não quero cama
Nem com os anjos sonhar

Quero todas as cantigas
Que ouvia minha avó cantar.

Por: Armando C. Sousa