Enquanto buscas n'uma noite, calada
Apagar teus mais doces sentimentos
Abafando gritos em teu leito trancada
Vivendo sozinha tão tristes tormentos.

Cerrando cortinas, travesseiro mordendo
O cheiro de alguém, teu amado, evitando
E mesmo sob água do chuveiro vivendo
Saudade, lembrança, ternamente amando.

Buscando uma distração em teu computador
Insatisfeita mesmo assistindo a tua televisão
Vivendo apenas forte lembrança, grande dor
Afastando-te assim de tua própria satisfação.

Não percebes o quanto sorrir mereces
Esse alguém que n'um dia vistes partir
Sem que notes ouvidas as tuas preces
Tens nas mãos teu maravilhoso porvir.

Te esqueces de pensar que em algum lugar
Há alguém passando, como tu, por um açoite
Vivendo as mesmas coisas por também amar
A mulher que tanto o ama na calada da noite.


Autor: Heraldo Lage