Sua imagem ficou
Nos objetos, nas paredes,
Nos móveis, nos quintais

Seu cheiro ainda passeia
Entre meu corpo
Como se quisesse
Retornar e refugiar-se.

Ah! Como era comum
Seu cheiro ficar em meu corpo
Era tão gostoso poder senti-lo perto
Quando a ausência feria.

E hoje...

Você caminha na minha sombra
Seguindo-me
Onde quer que eu vá.

Tirando-me toda concentração
Do meu trabalho
Do estudo
Do dia-a-dia enfim.

E como se você nunca tivesse partido
Pois fala comigo enquanto durmo
Fala de um amor maravilhoso
Sem tristezas, solidão,
Fatos sem solução.

Ah! Como é duro acordar
Com a sensação de não ter dormido sozinha
E com a triste lembrança
De noites a dois.

Triste como a certeza de que
Toda essa sensação de perda
Vai perdurar
Por algum tempo ainda.

É, você deixou saudades!
O que farei com elas?


Autora: Nidia Cintra