Minha alma solta... elevada sentindo-te
Enquanto meu físico... distante... mas alongando
Pela elasticidade do espirito e alma ouvindo-te
Beija-te... abraça... acarinha... Amando-te.

Porque o fundo musical... volto a dizer que embalas
Não confunde nem mente... que hora lendo vives
Profundos sentimentos de um amor que entala
Doendo-te a garganta... e lágrimas correm em choro livre.

Não te escondas mais... querida e adorada minha
Enches o lagar do mosto... do futuro bom vinho.
Deixa-me passear... sonhar... colhendo esta vinha
Levando-te em meus braços... até o nosso ninho.

Enquanto entoa o fundo desta musica divina
Deleita-te em meus braços... com fofo corpo
Descarrega sua alma... como o amor ensina
Não fiques tensa... pensante... sofrendo como morto.

Esqueces as festas... enganosas de um dia
Deixa sua alma viver para sempre indulgente
Desanuvia seu semblante... de teus lábios sorria
E de lugar a esta festa permanente!


sincero... o Único